sim, fazemos inteligência artificial

SEM EXAGERO, NÓS ENSINAMOS MESMO OS COMPUTADORES A VER

Na Planorama, alavancamos a inteligência artificial para ajudarmos os nossos clientes a impulsionar a sua execução no varejo e as ações de merchandising. As nossas soluções inovadoras, que incorporam algoritmos de “Deep Learning” podem analisar e reconhecer instantaneamente milhões de artigos com base em imagens de prateleiras de qualquer fonte.

 

Na abordagem de visão do computador de “Deep Learning”, o sistema aprende como reconhecer o alvo por si mesmo. Com base em centenas de imagens de um determinado alvo, os algoritmos de aprendizagem profunda podem elaborar o seu conjunto otimizado de funções visuais para reconhecer este alvo. Quanto mais imagens, mais preciso o sistema.

Para um reconhecimento visual do produto, do tipo que realizamos com a Planorama, o “Deep Learning”  tem diversas vantagens que o tornam uma abordagem ideal. O sistema pode ser alimentado com muitos bons exemplos dos alvos em todo o tipo de condições: produtos em prateleiras. Com o tempo, o sistema aprende a ajustar-se automaticamente e a reconhecer novos exemplos de produtos que nunca viu. Sem a necessidade de regras explícitas, o sistema pode reconhecer produtos mesmo com inserções de baixa qualidade. Trata-se de um sistema genérico, de rápida implementação para bases de novos produtos, adaptável e robusto para condições reais a fim de obter resultados verdadeiramente precisos.

quer saber mais sobre a IA?

LEIA ESTE ARTIGO

Deep learning: the new secret to great retail execution

Technology is evolving at an increasingly rapid pace these days, and one of the latest developments could revolutionize image recognition in machines. It’s called “deep learning.” While the concept got exciting press coverage in the gaming world last year — when Google’s AlphaGo system beat a champion player in the ancient board game of Go — its importance extends much further.